Abandonando a ilha

Publicado por Eduardo Kormives em agosto 22, 2017 Blog | Pastorais | Tags:, , , , , , | Sem comentários

Deivid Horácio Virtuoso*

Dizem que ninguém pode ser uma ilha, e acredito que é verdade. Em alguns momentos da vida sentimos a necessidade de ficar sozinhos, introspectivos, silenciosos, mas são raros estes momentos.

A vida boa mesmo é a vida em comunidade, é ter a mesa abundante e lotada de gente compartilhando o pão. É fato que somos diferentes e pensamos diferente uns dos outros, mas é exatamente aí que está a riqueza de vivermos juntos.

Em comunidade, nossa visão aumenta e enxergamos mais e melhor, pois um vê o que o outro não consegue e compartilham-se visões diferentes de um mesmo fato. Como diz o ditado:

Se queres ir rápido, vá sozinho. Se queres ir longe, vá acompanhado

Eu aprendi a acreditar nisso! Mas e quando temos dificuldade em viver juntos? Aliás, viver em comunidade também tem seus desafios. Exige tempo e paciência. Como estudante na área dos relacionamentos, percebi que existem algumas atitudes que podem ajudar você a se relacionar melhor com as pessoas ao seu redor. Falarei sobre elas a seguir.

OUÇA ATENTAMENTE

A primeira atitude importante nos relacionamentos é saber ouvir. Em nossa sociedade, muitos querem falar,  mas,  poucos querem ouvir. Isso é um grande problema. Como diria Rubem Alves:

Muitos querem fazer curso de oratória, mas poucos querem fazer curso de ouvitória

Principalmente em uma discussão, enquanto um está falado, o outro já esta pensando no seu próximo argumento, sem ao menos ouvir com atenção aquilo que o seu par está tentando lhe dizer.

Ouvir atentamente é muito importante e pode trazer resultados benéficos ao relacionamento. Dizem que o sucesso da Disney se dá não pelo personagem Mickey Mouse, mas sim, pela atitude Mickey Mouse.

As orelhas grandes do roedor emblemático da Disney foram usadas pelo seu mentor para comunicar aos colaboradores a importância de ouvir atentamente um ao outro e ouvir bem seus clientes. Aprenda a ouvir atentamente o outro, isso pode te fazer uma pessoa muito melhor.

ENXERGUE COM O CORAÇÃO

Mas como é isso? Enxergar com o coração é olhar alem do que os olhos estão vendo, superar a leitura realizada pelos sentidos, é ler nas entrelinhas. Perceber a conjuntura e o contexto histórico da situação presente. Como diz o ditado: “O essencial está além do que os olhos podem ver.” Procure compreender o outro, enxergue com o coração.

INSIRA UM ESPAÇO ENTRE AÇÃO E REAÇÃO

Quem pretende se relacionar bem com as pessoas não pode ter atitudes impulsivas reativas. Em relacionamentos duradouros acontece de as pessoas se alterarem. Por isso é importante que no momento da ira um dos dois consiga se calar e dar um tempo para a razão assumir o controle da emoção.

Na prática, é ser rápido no ouvir, e demorar, para falar e ficar com raiva.  Aprendi uma lição com um amigo empresário que levo pra minha vida toda. Ele sempre respondia com a mesma frase quando se via pressionado a dar uma resposta reativa. “Preciso me debruçar sobre o assunto.” Desta maneira conseguia tempo para pensar e dar uma resposta mais adequada e colocar ordem na situação. Não seja reativo, trabalhe sua paciência e auto-controle.

MUDE PRIMEIRO

Muitas vezes estamos preocupados e irritados com a atitude do outro e não conseguimos perceber que temos atitudes igualmente errôneas e irritantes. Com disse Jesus:

Tire primeiro a trave que está no seu olho, para depois ver o cisco no olho do seu irmão

Devemos mudar primeiro. A sociedade está cheia de pessoas apontando os erros dos outros. Precisamos começar por nós mesmos, ser o exemplo, gerar a mudança. Comportamento gera comportamento. Basta observar, quando entra uma pessoa sorridente no ambiente, ele se transforma. Sejamos nós a mudança que queremos para nossa comunidade.

TENHA A CAPACIDADE DE PERDOAR

A quinta atitude, e muito importante nos relacionamentos é a capacidade de perdoar. Uma frase famosa diz que “alimentar o rancor é como tomar veneno querendo que a outra pessoa morra”. A oração do Pai-Nosso salienta a importância de perdoar e ser perdoado. O perdão é importante pelo fato óbvio da imperfeição humana.

Todos erram, mesmo que inconscientemente e precisam do perdão. Perdão divino e perdão pelas ofensas em comunidade ou pessoais. Para se ter relacionamentos duradouros, o perdoar é de suma importância. Perdoe sempre. Como diz Gandhi: “Os fracos não conseguem perdoar.” Seja forte, perdoe.

CULTIVE A ATITUDE VITAL

Para finalizar uma atitude vital para os relacionamentos é o amor. É difícil defini-lo, pois existem diferentes tipos de amor. Mas quero deixar aqui uma tentativa de resumir o amor de Deus que deve guiar todos os relacionamentos. Ame ao teu próximo como a ti mesmo. Faça aos outros, o que você gostaria que fizessem a você mesmo. O amor é um verbo, uma ação, uma atitude. O autor Gary Chapman ensina que existem cinco linguagens para se comunicar amor:

  • Palavras de afirmação (elogios sinceros);
  • gestos de serviço (fazer algo importante e útil para alguém);
  • toque físico (abraço, carícias);
  • tempo exclusivo (separar do seu tempo para dar atenção exclusiva a outra pessoa);
  • presentes (dar alguma coisa a outra pessoa).

Resumi bem mas acredito que me fiz entender. Ame! Entregue-se pelo outro, isso pode dar sentido à sua vida.

Depois refletir sobre as atitudes acima e aplicá-las em meus relacionamentos, percebi que a vida ficou mais leve e que podemos viver em comunidade. Abandonei minha ilha, meu egoísmo e me tornei um pai melhor, um marido melhor, um pastor melhor um ser humano melhor. Acredito que estou começando a aprender e não quero mais parar, vou continuar nadando e aprendendo.

* Docente de educação física, estudante de Teologia e Filosofia, pastor do MC2 Criciúma

Algo a acrescentar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *