Feijão está caro? Então corra pra feijoada do MC2 Criciúma

Publicado por Eduardo Kormives em junho 29, 2016 Blog | Tags:, , | Sem comentários

Dizem por aí que o quilo do feijão anda tão caro que andar com uma casca de feijão no dente virou até ostentação. Se você quiser matar a vontade de comer bem um dos componentes indispensáveis da mesa brasileira, o MC2 Criciúma é lugar certo para você no almoço deste domingo (3/07).

O ingressos para a famosa feijoada do pastor Valter Kormives – também conhecido por estas bandas como Sherif – saem por R$ 25. O melhor de tudo é que, além de um almoço agradável, você ainda contribui para as obras planejadas no espaço do MC2 Criciúma, destinação do dinheiro arrecadado.

feijoada

O mito da feijoada

Cozinhando feijoada desde antes de muitos de vocês terem nascido, lá pelo final dos anos 1970, o Sherif promete mais uma vez fazer jus às expectativas. Foi nesta época, aliás, que a Rede Globo exibiu Feijão Maravilha (1979), novela que tinha na abertura aquela música “Dez entre dez brasileiros preferem feijão…”, composição de Gonzaguinha que se tornou um grande sucesso com as Frenéticas – pergunte pra quem tem mais de 40.


A feijoada do Sherif a gente garante. Agora, aquele papo de escola de que a feijoada é tipicamente brasileira e criada por escravos é outra história. O prato seria uma “releitura”, para usar um termo na moda, do cassoulet francês, uma espécie de feijoada com feijão banco. O historiador Henrique Carneiro diz que até mesmo a Polônia tem a sua”feijoada”, conhecida como tsholem.

O jornalista Leandro Narloch, escreve o seguinte no seu Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil:

O prato ganhou a cara de comida dos negros, mesmo tendo pouquíssima influência africana. Muita gente repete que a feijoada nasceu nas senzalas, criada pelos escravos como feijão e carnes desprezadas na casa-grande. Eis um daqueles mitos que de tão repetidos se tornam difíceis de derrubar. A feijoada tem origem europeia. Quem diz é o próprio folclorista Câmara Cascudo.

Pronto, botamos uma pimentinha na sua cumbuca de feijão. Brasileira ou não, todos concordamos que a feijoada é uma bela pedida.

 

Algo a acrescentar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *