Ser igreja, não ir à igreja

Publicado por Eduardo Kormives em setembro 24, 2013 Por que fazemos | Tags:, , | Sem comentários

Trabalhadores no topo do Rockefeller Center

Valter Kormives*

“O céu é o meu trono, diz o Senhor, e a terra é o estrado onde descanso os meus pés. Que tipo de casa vocês poderiam construir para mim? Como conseguiriam construir um lugar onde eu pudesse morar? Por acaso não fui eu quem fez todas as coisas?” Atos 7:49-50

Quem nunca assistiu ao Mythbusters? Um programa de TV onde 2 caras feiosos, Adam Savage e Jamie Hyneman, com a sua equipe, investigam mitos para mostrar o que é real e o que é mera ficção.

Eles incendeiam, explodem, cortam, enfim, fazem de tudo durante as investigações. E olha que mito é o que não falta: antigos e modernos, urbanos e rurais, científicos ou não. E quem assiste se diverte um monte.

Mas entre os zilhões de mitos, fruto da mente humana, um dos mais populares é o de que os “deuses” precisam de templos para morar.
Esta ideia tem permeado o pensamento do ser humano através da história, e o resultado tem sido a criação de enormes estruturas, que simbolizam o poder do “deus” que ali habita. Quanto maior o templo, maior o poder. Então os homens, procurando agradar aos “seres divinos”, capricham na forma, no luxo e no tamanho.
Mas tal qual o programa da Discovery Channel, o cristianismo veio para destruir esse mito e tornar conhecido dos homens o Deus único, que não habita em construções feitas por mãos humanas, por mais exuberantes que sejam, mas mora no coração daqueles que aceitam seu presente de salvação.

 

O Espírito de Deus habita em nós, então nós somos o templo de Deus. Ideia simples e brilhante, que nos enche de responsabilidade.
“Será que vocês não sabem que o corpo de vocês é o templo do Espírito Santo, que vive em vocês e lhes foi dado por Deus? Vocês não pertencem a vocês mesmos, mas a Deus, pois ele os comprou e pagou o preço. Portanto, usem o seu corpo para a glória dele.” 1 Coríntios 6:19-20

 

* Pastor-fundador do MC2

Algo a acrescentar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *